Blog

19 maio (blog) Em 19 de junho de 2018 / Cuide de você

Tudo o que você gostaria de saber sobre vegetarianismo mas teve vergonha de perguntar

Estatísticas apontam que o número de vegetarianos no Brasil cresce a cada dia. De acordo com pesquisa realizada pelo Ibope, o equivalente a 22 milhões de brasileiros se consideram vegetarianos. Mas, será que é fácil se tornar um? Isso trazer problemas para a saúde? A nutricionista Caroline Bonani falou com a gente sobre o assunto

Segundo a nutricionista Caroline Bonani, são muitas as razões para ser vegetariano. Entre elas: éticas, de saúde, religiosas ou ambientais. “Mas a grande maioria das pessoas se torna vegetariano por motivo ético, pois acreditam que os animais têm o mesmo direito a vida, assim como os humanos”.

 

Outros aderem a uma alimentação sem carne por ser uma opção saudável e benéfica ao nosso organismo. “Diversos estudos mostram que muitas doenças têm seus riscos minimizados com maior consumo de alimentos vegetais e redução do consumo de alimentos de origem animal”, explica a nutri.

 

VEGETARIANA POR CONVICÇÃO

 

aline sena vegetariana

 

A empreendedora Piatan, Aline Sena, aderiu ao vegetarianismo há 9 anos. Sob a influência da irmã mais velha, ela soube como funcionava o processo de abatimento dos “bichinhos” e optou por seguir uma vida sem consumo de origem animal.

 

“Muita gente prefere continuar a pensar que os animais criados para consumo humano são tratados com dignidade e no fim da sua curta vida são mortos sem dor. O que não acontece. Os animais são confinados a uma vida de sofrimento e a sua morte muitas vezes é acompanhada de tortura”, explica a empreendedora.

IMPACTO AMBIENTAL

 

A nutricionista Caroline Bonani ainda alerta que a indústria de criação de animais causa um forte impacto negativo ao meio ambiente. “Essa indústria é causadora de grande parte da devastação florestal, desertificação do solo, poluição do ar e da água, alterações climáticas, entre outros problemas”.

 

De modo geral, quem escolhe ser vegetariano procura por uma alimentação saudável e que não gere sofrimento para os animais, que seja sustentável, e que não traga destruição ao ecossistema.

 

MAS SER VEGETARIANO É FÁCIL?

 

É mais fácil do que parece! Se você já pensou em iniciar uma alimentação sem carne, mas acha que é difícil, ou mesmo nunca passou pela sua cabeça a possibilidade de aderir uma alimentação como esta, comece devagar, no seu tempo.

 

Aline foi mais radical, mas precisou desacelerar o processo para aderir ao novo estilo devida. “No início, eu sentia como se a comida não me saciasse. Comecei vegana radical, mas por encontrar muitas dificuldades retrocedi ao vegetarianismo”, conta.

 

Segundo ela, essa época ainda morava com os pais, o que tornava o processo ainda mais difícil, uma vez que a família era de verdadeiros carnívoros. “Convivência social é um processo delicado. Não se vai à uma festa infantil ou qualquer outro tipo de evento entre família e amigos com opções veganas. Muito raro!”, lamenta.

 

Desde que se tornou vegetariana, Aline conta que inúmeros benefícios foram conquistados. Entre eles, a pele que ficou mais bonita, o temperamento que ficou mais calmo, problemas de digestão que foram sanados, e a capacidade de meditação que aumentou. “Ter clareza no pensamento e calma na mente, são benefícios imensuráveis!”, garante.

 

PARA QUEM QUER COMEÇAR

 

CAROLINA NUTRI

A dica da nutri para quem está começando é: comece pela “Segunda Sem Carne” (Projeto da Sociedade Vegetariana Brasileira – SVB). Você vai se surpreender com a praticidade no preparo das refeições, com os diversos tipos de pratos e receitas que pode criar. Além disso, vai descobrir quanto pode ser saborosa uma refeição sem carne. E o mais importante, o quanto você está contribuindo para sua saúde, para os animais e para o meio ambiente!

 

GRUPOS VEGETARIANOS

 

A nutricionista Caroline Bonani explica que o vegetarianismo consiste em não consumir nenhum alimento de origem animal, mas alguns grupos vegetarianos vão além. Param de consumir alimentos provenientes de animais, como por exemplo: o mel. De modo geral, todas optam por uma alimentação de origem vegetal e nenhuma uma ingere qualquer tipo de carne animal.

 

Veja as diferenças:

  • Ovolactovegetariano: não come nenhum tipo de carne (vaca, frango, porco, peixe…) e seus derivados, porém consome ovos e laticínios.
  • Lactovegetariano: não consome carnes e nem ovos, mas tem em sua alimentação leite e seus derivados (queijo, iogurte, manteiga…).
  • Ovovegetariano: Não come carne e nem leite e seus derivados, mas ingere ovos.
  • Vegetariano estrito: não consome nenhum alimento derivado de origem animal ou qualquer produto que tenha derivados de animais, como ovos, laticínios, mel, gelatina, colágeno, alimentos contendo corante de cochonilha, entre outros.
  • Vegano: vai além de adotar uma alimentação vegetariana estrita. Não utiliza qualquer produto que gere exploração ou venha de sofrimento animal, como, por exemplo, vestuário (lã, couro, seda…), cosméticos, produtos de higiene pessoal e limpeza da casa, produtos testados em animais e entretenimento (zoológico…).
Facebook Comments

Compartilhe: